27 janeiro 2015

24 janeiro 2015

A minha mãe é uma crente #2

Ontem houve noitada da grossa. E, confesso, aos 30 as noitadas já não são tão frequentes como aos 25. Digamos que a energia e disposição já não são as mesmas.... Adiante. Senti-me na obrigação de me emperiquitar toda e abusar naquele batom novo liiiindo que comprei na Kiko.

Já ia quase a sair porta fora quando a minha mãe me aparece ao caminho, me olha de alto a baixo e pergunta com um ar muito crítico, apontando para a minha mini saia:

- "Vais sair assim?"

Franzi uma sobrancelha e estive vai, não vai, para lhe dizer que sim, e que além disso ia a uma antiga casa de meninas (Pensão Amor - vão lá, que vale a pena!). Só assim, para a irritar um bocadinho. 

Já ia escada abaixo quando a senhora abre a porta de casa e me diz lá de cima:

- "Não bebas álcool!".

Yeah....right!

23 janeiro 2015

Creminho

Esta semana fui à médica e, por acaso, calhou ser num dia em que até tinha dormido mal. Vendo-me com olheiras e os olhos inchados, a Dra. (que é toda tia chiquesse) tratou prontamente do assunto. Pegou num papelinho, escreveu o nome de um creme e entregou-mo:  "Tome lá, ponha isto por baixo dos olhos todas as noites antes de se deitar e vai ver como é milagroso. Mas não se assuste com a embalagem!"

Não percebi o porquê do último comentário, mas aqui está a explicação:


É para pôr no outro olho, é certo, mas garanto-vos que, com apenas uma aplicação, já noto uma diminuição significativa dos belos dos papos! 

18 janeiro 2015

Pacóvia é o meu nome do meio

Acabei de chegar de um jantar no cú de Judas. Acontece que está a acabar o mundo lá fora e eu tenho propensão para me perder pelo caminho, pelo que decidi ligar o GPS do telemóvel e arriscar a vida conduzindo a olhar para o ecrã.

Não sei em que raio de botão carreguei, mas ainda não tinha andado 200 metros quando o telefone acendeu uma luz azul muito forte e comecei a ouvir vozes. Ai Jasus, 'ca susto! que pensei que tinha telefonado para alguém por engano (acontece-me muita vez), mas depois prestei atenção e era uma mulher a mandar-me virar à direita. Levei algum tempo a perceber que era o telemóvel a conduzir-me amargamente até ao meu destino e ainda mais tempo a conseguir confiar no dito. A verdade é que aquela voz fria, distante e autoritária acabou por me levar a bom porto e fiquei aliviada quando o pequeno aparelho me disse, azedo: "chegou ao seu destino", apagou as luzes e emudeceu. 

Será que há alguma opção para tornar a voz do GPS mais quente e amistosa? É que isto assim mete um bocado de medo. Mas também nunca ninguém disse que a primeira vez era fácil...

16 janeiro 2015

Roncar é d'homem!


Já ouvi falar de gatos que ressonam, mas o meu mais velho é um abuso! Parece um berbequim! Vá... berbequinzinho.

Isto de noite é coisa para acordar uma pessoa, que biolência!

Já não me lembrava bem do vício que isto era

Isto de ter voltado aos blogs não foi nada bem pensado. Uma pessoa senta-se em frente ao PC com sérias intenções de trabalhar, abre por instantes o blogger, só porque já é hábito, e quando dá por si já passou mais de uma hora. Gaita.

15 janeiro 2015

Ana, a brilhar desde mil novecentos e oitenta e troc'ó passo

Numa das últimas aulas da pós-graduação, foi-nos dada a tarefa de fazermos uma maqueta do livro que estamos a projectar. Acontece que calculei mal o material necessário e acabou por me faltar o cartão grosso para simular a capa.

Diz-me a professora, muito despachada:
- Ana, use esta cartolina que aqui tenho, que à falta de melhor também serve.

E respondo eu com um ar muito indignado:
- Desculpe, professora, mas se isto é para usar a vida toda não quero cá coisas moles.

(Silêncio na sala.)

Retorquiu ela, com ar maroto:
- Tem razão. Essa frase aplica-se a tudo na vida.

E posto isto a turma rebentou em gargalhada.

(Palhaça é o meu nome do meio, está visto...)

08 janeiro 2015

3 reflexões sobre Charlie e não falo mais no assunto

1 - o ser humano tem de aprender, sem dúvida, a rir de si mesmo. A capacidade de entender e fazer humor é uma das coisas que nos distingue dos demais animais. Ora se temos o dom de rir, por favor, pessoas, usem-no e não levem tudo tão a peito.

2 - a nossa liberdade acaba onde começa a liberdade dos outros.

3 - toda a gente está disposta a dar opinião sobre tudo, mesmo quando não tem opinião formada sobre coisa alguma.

Posto isto, retomamos a normal emissão.

Frozen

Hoje esteve frio. Não um frio qualquer, mas aquele que se entranha por dentro das roupas e nos invade cada pedacinho da alma. Por momentos chegamos mesmo a pensar que nunca mais vamos conseguir aquecer; que vamos gelar e empedernir e desaparecer. Olhamos para os outros e vemos reflectidos rostos igualmente engelhados, mas no fundo sabemos que todos se dirigem para qualquer lado, para longe do frio e da morte.

E depois olhamos para o lado, ali mesmo à beirinha, e somos assaltados pela dura realidade, pela amargura de quem não tem pontinha de calor, nem de esperança, nem de NADA!


Porra pá, hoje esteve tanto frio! E eu aqui, no meu mundinho quase perfeito, por vezes sem dar valor à sorte que tenho...

07 janeiro 2015

A menina tem?

Veio cá o electricista arranjar uns cacarecos e, quase no final do trabalho, chama-me e pergunta:
- "Olhe, desculpe, tem silicone?"
E eu, do alto da minha mente perversa criatividade, juro que pensei agarrar as madalenas e responder:
- "Não, não, amigo! Isto é tudo material original, criado pelos paizinhos na década de 80!"
Mas limitei-me a sorrir amavelmente e a ir à arrecadação buscar a dita.

04 janeiro 2015

A minha mãe é uma crente

Amanhã recomeço as aulas da pós-graduação e, sabendo isto, pergunta-me a minha mãe:
-"Ó Ana, e não tinhas TPC? Já os fizeste?"

(Olá, o meu nome é Ana e tenho 8 anos.)